A arte de criticar… a arte!

O texto de hoje é sobre algo que eu vejo as pessoas fazendo por aí, mas fazendo de forma errada!

Crítica!

E olha que não estou falando das que eu recebo, porque FELIZMENTE, ultimamente só tou recebendo crítica boa (não to falando de elogio, mas sim, daquelas críticas construtivas que visam você a melhorar).

Mas tem muita gente por aí que não sabe criticar.

E é sobre isso que vou escrever hoje.

Primeiramente, quero avisar que estou me referindo a critica em relação a ilustrações, HQs, personagens e afins. Mesmo faltando menos de 2 meses para me graduar em Artes Plásticas, não me atrevo a falar dela, pois material referente a isso pode ser encontrado facilmente em qualquer lugar.

“Não gostei”

Pois é, essa é a frase preferida destas pessoas citadas acima. Mas então vem a pergunta: Não gostou do que? – Resposta: Não gostei desse estilo.

– Tá mas diga por quê?!

– Sei lá, não gostei!

Tudo bem. Mas e daí? O que você acrescentou?

Sabe o que falta? IMPARCIALIDADE!

Será que é tão difícil assim, ser imparcial? Saber colocar os gostos pessoais de lado e analisar corretamente um obra ou um desenho? Muitos citam aquele papo de que você não precisa ser cineasta para poder entender se um filme é bom ou ruim. O mesmo é com o desenho.

Quando criticar, veja os pontos principais: composição, anatomia, sombra, luz, cor (se houver) etc. Outra coisa importante para se checar é a estilização da pessoa.

Aí é que a coisa complica, pois é realmente difícil separar estilo de erro. Por exemplo, tem um cara que faz desenhos mais cartunizados, ou seja, exagerados, cuja característica principal, são pernas e braços bem finos. Isso tá errado? Se for a proposta do desenhista… CLARO QUE NÃO.

Tem uma hora que quando você começa a se encher de referências e já tem um tempo de prática, fica fácil de se ver a fronteira entre estilo e erro. O erro tá ali, é uma coisa gritante e desproporcional. Já o estilo não, ele é coerente, mesmo que ainda em desenvolvimento. Ele está ali porque é o que o desenhista quis.

Tem horas que sinceramente, é melhor a pessoa ficar calada, do que se meter a sabichona e falar besteira. Já vi muita gente se passando.

Uma vez que você abre a sua mente, fica ainda mais fácil visualizar muitas coisas. Uma dica minha é: pare de se bitolar em apenas um estilo. Se expanda. Tudo bem que desenho e quadrinhos são coisas que são produzidas diariamente. Tem muito lixo e muito material bom sendo feito. Não dá para acompanhar tudo (a menos que você desista de sua vida), mas faça um esforço para cercar-se do maior número de obras possível.

É isso.

3 Respostas to “A arte de criticar… a arte!”

  1. Graco Says:

    Rapaz tipo da coisa, se tem seu ponto, mas tipo da coisas essa coisa “não gostei” não tem muito porque não a pessoa simplismente não gosta e pronto mesmo, mas tipo outra coisa é você dizer que uma coisa é uma merda só porque você não gosta e não da motivo nenhum, isso é foda!, em fim por exemplo: Eu não gosto de Forró, porém adimito que o forro de Luiz Gonzaga é bom, tem boa letra e melodia mas eu não gosto, e digo que o Forró comercial de hoje é uma merda porque não tem letra, na verdade em grande maioria são “parodias” de musicas norte americanas, que não guardam nenhum grau de semelhança com o significado origina, e que quem “compoem” ainda se acha o ORIGINAL!, esse tipo de música por definição esta longe de ser arte. – em fim acho que já mostrei meu ponto

  2. É verdade que é uma coisa muito relativa.
    Mas como eu disse, eu me referi no tópico, ao desenho. Aqui, nessa área, já que é uma habilidade manual e mental (por que não?), sempre haverá algo a desenvolver. Cada um tem sua opinião, mas quando se quer criticar, que se faça uma crítica séria e construtiva. Esse é o foco do post.

  3. White Onix Says:

    Eu sempre fui voltado mais pro lado mangá, mas eu aprecio e MUITO os outros estilos de desenho (comics, naturalistas, etc). Mas tipo, não tem porque fazer fazer um SD (super deformado) num comics, é erro e não estilo, fazer os personagens com brações mais longos e etc. é estilo não necessáriamente erro. Acho que os mangás e os cartoons são os estilos de desenho em que a pessoa pode mais esbanjar criatividade, ao contrário de naturalista, que não pode ter estilo, e o comics que tem já seu esquema (homens extremamente fortes e mulheres sensuais). Como vocês dois já disseram, é algo muito relaitivo.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: