Emily Louise [Inocência]

milly_persFaz tempo que não posto sobre os personagens de Inocência.

Para celebrar esse retorno é claro que a personagem que eu deveria falar agora seria a Emily, ou simplesmente Milly.

Esta é outra personagem-chave de Inocência.

O que quero dizer é que ela é bastante importante. Umas das personagens mais importantes da história por sinal. Porquê? Simples, ela será a responsável por virar a vida de Mina Lilien em um ângulo de 180º. Para a pobre garota, os únicos indícios de amizade verdadeira que ela conhecerá serão apenas com Rachel e com Emily. Rachel nem tanto porque ela é uma garota indecisa em suas amizades e extremamente dividida. Além de quem, em certa hora na história acontecerá que…………. tá achando que vou revelar?

Mas Milly não. Ela é sincera, sincera até demais. Milly representa completamente o oposto do que Mina é. Mina é tímida e com baixo estima, Emily é faladeira e tem um estima lá no alto (mesmo que ela precise fingir isso); Mina se importa o que os outros dizem dela por não saber lidar com isso, Emily está pouco se lixando para o que os outros dizem. Mina procura ser responsável no que faz, Milly tá nem aí mesmo. Mina é louca por doença mental, Milly é doida porque… porque é doida mesmo!

Só neste parágrafo já resumi um pouco da personagem. Ela (e os amigos da banda) é a responsável na história por aliviar um pouco a pesada atmosfera de Inocência (já descrita aqui no blog). Enquanto que o mundo de Mina é cinza, o mundo de Emily é completamente colorido.

Emily é de origem inglesa e mora com os pais. Seu falecido pai, que era inglês, foi músico . Ela é quem criou a banda Rustica Puella e é, claro, a líder da mesma. Seu estilo de ser é um pouco punk, mas na verdade ela é bem eclética mesmo. Apesar de tudo ela é bem parecida com as garotas modernas de hoje em dia. Com apenas 15 anos, quase 16, ela fuma e bebe, escondido. Sua rebeldia vem mais para agredir sua mãe com quem ela não se dá bem e com seu padrasto. No fundo ela é uma pessoa solitária no seio familiar, mas esconde tudo isso nessa máscara de felicidade e explosão. É que quando ela é assim, ela se esquece destes problemas e vive, do jeito que ela quer. Por meio de amizades e da banda, ela é bem conhecida no circuito underground da cidade. Milly é uma exímia baixista, além de cantar muito bem.

Pelo seu jeito de ser e por saber superar os seus problemas, Mina inveja um pouco a garota. Milly é tudo o que Mina queria ser. Emily percebe isso e trata de ajudar a amiga, com o intuito de dar um pouco de felicidade a ela e retirá-la de seu mundo pesado e cinzento. Eis que uma grande amizade se forma aí, com duas pessoas tão opostas.

Bom, em relação ao design dela, acreditem, muita coisa mudou. Como assim? Ela já existia?

Sim, ela existia sim. Mas com outro nome e com uma forma COMPLETAMENTE diferente. Duvida? Pois bem, vamos voltar à antiiiiiiiiiiiiiiiiga história dos anjinhos felizes. Tá lembrando? Não? É novo por aqui? Então leia o post: Mina Lilien e saberá do que estou falando.

Agora que você se lembrou ou leu pela primeira vez, sabe que há muito tempo atrás, quando o mundo ainda não era mundo, eu tinha um projetozinho de HQ que teria como tema anjos (blah). Por isso que “carinhosamente” para não dizer o contrário, eu chamo de história dos anjinhos felizes. Bom, nessa HQ, se vocês estão lembrados, havia de tudo. Até mesmo uns furries, ou anthro, ou sei lá como você queira chamar. Enfim, Humanóides que contenham características de animais, como rabos de gato, pêlos de animais, orelhas de animais e por aí vai. A HQ tinha uma personagem que seria a amiga maluca de Mina(ko). O nome dela? Claro, na minha época de metido a otaku babão tinha que ser um pseudo nome japonês né? Era Haruma, ou algo assim. Veja abaixo a tosquisse:

haruTá, podem rir. É tosco mesmo e para você verem como NÃO se deve fazer um personagem. E sim, eu havia pegue inspiração naquela personagem gatinha (to falando literalmente) do jogo Breath of Fire 2.

Parem um pouco e comparem com a ilustração lá em cima. Um pouco diferente não é? A única coisa em um comum que as duas tem é esse ar de quem ri a toa. Como disse, peguei apenas a parte referente a personalidade e modifiquei COMPLETAMENTE a personagem. Isso era apenas para vocês verem como ela ja existia, mas sob um roupagem diferente.

No design atual, não há muito o que falar. Tomei como base fotos de garotas (brasileiras) que cantam em bandas de rock. Elas se produzem, são arrumadas, são femininas, mas também se vestem de forma bem… legal (algumas das que eu vi). Portanto foi o que pretendi para com Milly. No dia a dia ela pode se vestir de diversas formas, ora bem roqueira, ora nos moldes pré-programados (agora bateu dúvida, na nova regra, tem hífen ou não?) da sociedade moderna. Nos shows é a mesma coisa. Vai depender da vontade dela.

Acho que o principal de meu conceito quando elaborei a Milly (na história atual e definitiva) é justamente isso: a visão que tenho de uma garota livre, sem estar presa a estes conceitos toscos de moda, mas ao mesmo sem ser desleixada com a própria aparência. Ela apenas não se prende a rótulos.

Sim, ela é o modelo que Mina gostaria de seguir.

O problema será quando a outra Mina agir. E Milly será uma das responsáveis.

Só digo isso.

7 Respostas to “Emily Louise [Inocência]”

  1. CiliO Says:

    Hei posso pegar o visual de gatinha e colocar em GAIA (auhuahuahuhauahuh), bom lá ninguem vai estranhar…🙂

  2. Vai em frente!

    Toda sua. Pode até usar o nome Haruma, Hiruma, ou sei lá que você quiser.😀

  3. Bruno (Shooting Star) Says:

    hehe, prefiro a nova roupagem que ela recebeu… (não gosto desses misturados de animais sem noção, a não ser que tenha uma ba explicação).
    Até posso dizer que acho que essa vai ser a personagem que eu vou mais gostar… (pelo menos pelas informações até agora).
    😛

  4. Pois é. Eu larguei disso há tempos. A menos, como você disse, que tenha uma boa (e bota boa nisso) explicação!

    Quando à Milly… ela é foda mesmo😀.

  5. Graco Says:

    Rapaz eu dei moh valor a Milly, não dava para imaginar que aquela “tigresa” de anos atrás era ela😄 ahaiuahoiau, bem mas coitada da “tigresa” eu gostava dela… hauhaioahoaihoaiha mas pelo novo rumo da história ela não teria espaço mesmo. Bem adiante com os desenhos queremos ver o resultado final

  6. Pois é. Acredite, é ela a própria.

    Bom, a personalidade de certa forma, é a mesma da tigreza e sua relação com a Mina também (Aquela “levantadora de moral” da personagem). A única diferença é que ela não é mais amarela, não possui pêlo de animal, nem caninos afiados e muito menos orelha e olhos de gato😀.

  7. voce e orriveo bunita sou eu que dizer eu sou uma gata

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: