Resposta de um Leitor

Bom gente, esse post é apenas um complemento do post: “Quer fazer Quadrinhos? Então faça a História! Mas faça direito!”

Um leitor, de nome Jonatan, esbarrou aqui no blog por acidente (feliz acidente hein?) e foi um dos que leram o tal do post. O mesmo o interessou de forma que ele postou um comentário que achei bastante interessante para postar aqui, para que mais pessoas o vejam.

Como obtive aprovação dele para postar seu comentário por aqui, segue abaixo o mesmo de forma fielmente reproduzida (apenas tomei liberdade para separá-lo em parágrafos para facilitar a leitura).

Texto em itálico:

Interessante! rs

Não sou desenhista (mesmo porque não sei “desenhar” (se homem palito serve como desenho, então eu sei desenha-lo muito bem! rs) Mas tenho admiração por quem o faz, simplesmente obras fantásticas!) Mas sobre o roteiro eu concordo plenamente, vou citar o meu caso. Eu tenho um grande fascínio pela Era Vitoriana, Londrina ou Britânica, mas muitos que “tentam” escrever sobre ela pecam em diversos assuntos, desde trajes (era vitoriana exibe um “pouco” de conhecimento sobre os trajes) costumes (o que é INTEIRAMENTE necessário para se escrever sobre), e o local… tudo bem que querer colocar trajes “típicos” é uma questão “fácil” se for pegar o lado do século XIX no Brasil, mas mesmo assim não podemos escrever sobre as personagens usando “trajes” Brasileiros (claro com suas influências em outros paises (França por exemplo)), com costumes Britânicos e ainda por cima em um ambiente Brasileiro,isso tudo viraria uma pura “maçaroca” de informações não coletadas, desde história do século XIX, até partes geográficas.

Escrever um roteiro de época não é tão simples, muito menos pouco trabalhoso, temos que ter a ampla informação histórica do país, dos locais, dos costumes, do modo de vida daquela população e qual seria a “religião” predominante naquela época (isso se pode incluir nos costumes).

É a mesma coisa sobre mangás, por exemplo, muitos (se não todos) os autores fazem uma pesquisa enorme sobre o que estão desenhando e escrevendo. Shaman king é uma delas, o autor pegou fontes xamânicas de vários lugares do mundo, pegou fontes Xintoístas (Shintoistas) e do Onmyodô para fazer a bela história.

Outro caso que posso citar é sobre Victorian Romance Emma da Kaoru Mori (uma das autoras que mais tenho respeito), ela falou sobre a “era” vitoriana e o costume de uma família tão belamente que da para ver que teve uma pesquisa por de traz de tudo.

Eu não sou um Roteirista de primeira classe, tanto não sou que parei de fazer meus escritos por achar que faltava “algo”, que faltava informações e de pesquisas mais avançadas, então tive por preferência fazer algo “bom” do que algo “porco” e assim parei para me dedicar a leitura, tanto de fontes históricas como de outros termos como o SteamPunk e autores alheios achados pela internet.

Melhor eu parar por aqui, que estou quase escrevendo um outro texto sobre roteiros! Rs

A sim, desculpe se houver algum erro no português, escrevi tão rápido que eu posso ter esbarrado em algumas letras =D

Até mais.

——————-

Primeiramente, gostaria de agradecer ao Jonatan pela sua contribuição e por ter cedido o comentário. Também fico feliz que ele tenha entendido o que eu quis escrever no post. Ele explicou de forma bem simples a mensagem que eu queria passar.

Vejam bem, como vocês sabem, este blog serve tanto para mostrar a progressão de meus trabalhos, quanto para abrir espaço para essa discussão. Eu também estou aprendendo, assim como vocês. Logo, o blog é um espaço para que possamos fazer essa troca de informações para obviamente podermos crescer.

Quando falamos de quadrinhos, temos uma variedade enorme de estilos, histórias, etc. No post em que eu falo da história em si, meu alvo são aqueles que querem fazer algo enorme, de sei lá quantos volumes e fazem de qualquer jeito.

Fazer quadrinhos de qualquer jeito é errado? Resposta: NÃO. Claro que você não deve se sentir amarrado a certas convenções e regras. Complementando o que disse no parágrafo acima, a pesquisa séria deve ser feita quando você quer contar uma HISTÓRIA e que tenha um contexto histórico inserido nela, mesmo que seja algo contemporâneo, ou quando você quer falar de algum assunto. Até mesmo fantasia.

Pois bem, é isso aí e mãos a obra.

P.S.: Estou demorando nas postagens porque estou a todo vapor desenhando o resto das páginas de Noite no Quarto. Falta pouco, bem pouco. Em junho vocês terão a HQ completa e o texto.

4 Respostas to “Resposta de um Leitor”

  1. Bruno T.M. (Shooting Star) Says:

    Opa!!!🙂

    Esperando Noite no Quarto!.
    Hehe, eu sei bem do que se trata esse texto. Afinal, eu sou como o autor do texto: não sei desenhar, aprecio quem desenha, mas faço roteiros e me empenho nisso.
    ;P

  2. Pois é, você é mais outro. Tou vendo que os que são exclusivamente roteiristas dão de lavada nos desenhistas/roteiristas hem?

    Mas eu até entendo, quando se desenha, o desenhista iniciante (ou não), fica numa ânsia enorme de desenhar esta ou aquela cena que ele imaginou. Resumindo: ele só se concentra NAQUELA cena ou situação e esquece o resto. Há a ânsia também de se fazer o personagem ou os personagens logo.

    Trabalhar isso é fundamental. Pois se ele for uma casca vazia, de nada servirá.😀.
    Continue se empenhando!😀

  3. Jonatan Says:

    Woa =D você postou! Rs

    Bom, primeiramente fico muito grato e bastante lisonjeado. E assim como o Bruno disse “faço roteiros e me empenho nisso.” Vou escrever um pouquinho (quem sabe não ajuda né? rs) sobre uma forma descontraída de “ler” e “estudar” ao mesmo tempo ( o que serve de base para um bom roteiro, seja de Mangá/HQ ou seja para um livro).

    Devo falar que escrever é tão importante quanto desenhar, claro que em um desenho só a imagem por si só pode transmitir o que o autor quer, impressionando ou exclamando pensamentos, mas o autor antes de desenhar tem de pensar no que ele quer “passar” ou o que ele quer “transmitir” com aquela imagem. A mesma coisa acontece com quem está escrevendo, devemos passar os momentos de emoções, e de tristezas com a mesma entonação que um Desenhista passa em suas obras, devemos impressionar e muitas vezes ser impressionados com a nossa mente.
    Sei que tem muitas pessoas por ai com dificuldades para escrever um roteiro, ou uma história simples, que seja. O que eu diria para elas é que deixem as palavras serem “jorradas” de suas mentes para um papel/documento, não queira escrever em um português do século XVIII. Seja simples, objetivo e tenha consciência que você escreve além de tudo para outras pessoas, então não queira que as pessoa saibam de tudo que você sabe, um exemplo básico, você quer escrever sobre máquinas futurísticas, sobre um mundo eletrônico onde a convivência com Andróides e super-maquinas é comum, e no meio desse blá blá blá manjado (e muito explorado) você me coloca uma questão de física aplicando conceitos da eletrônica, resultado, o leitor vai se cansar, vai olhar para sua história e entender absolutamente NADA, daí você vai ficar choramingando de um lado para o outro falando “porque minha História não faz sucesso?” e soltando outros milhares de “mi mi mi” para cima de seus amigos (claro, sempre sobra para os coitados agüentarem você, e se isso não ajuda, a mãezona ta ai pra isso!)

    Mas então, onde está o erro?

    Ele está na sua má formulação de história, se você quer falar sobre física nas suas histórias não tem problema algum! Mas explique o que você expôs para o leitor, não apenas “jogue” esperando que ele “engula” o que você disse, lembre-se o melhor leitor é aquele que critica, que fala exatamente o que você não quer ouvir! E o porque? Porque ele quer o seu melhor, e nada mais coerente do que você dar isso a ele.

    Não posso dizer que escrever é simples, eu sei que não é, mas a prática leva a superação, então praticar e guardar seus textos é muito importante, mesmo que você não goste e os ache um lixo, GUARDE-OS! Mais tarde você vai poder lê-los e observar sua evolução. É quase a mesma coisa que em um Desenho, assim como o traço, as técnicas e seu amadurecimento crescem com o tempo, em um texto acontece a mesma coisa, tudo depende de prática, de leituras e de interpretações.

    Chegaaaa de escrever se não vou se expulso a socos pelo dono! rs =D espero que todos tenham uma ótima leitura, e bons estudos!

    Jonatan

  4. Se quiser pode até escrever mais. Não me importo😀.

    Muito boa colocação caro Jonatan!

    Bom, fica aí registrado o seu comentário para quem se interessar a ler!

    Obrigado novamente pela sua contribuição no blog!🙂

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: